fumaça fumaça..

Já foi elegante e charmoso, hoje já não é mais. E como se começa o vício de tragar? A vida pode estar tão sem vida, sem plenitude, difícil e incompleta. As relações mantidas já não traz prazer e alegria e o trabalho está estressante… insatisfação! Pra completar não dá pra lidar com toda essa pressão louca e situações adversas. Ai, para o mundo que eu quero descer? Nada disso. Para alguns isto é realidade e em certos momentos e aspectos realmente acontece assim conosco. Um bom alívio para isso está nos hobbies, esporte, lazer, doses de cultura, tempo com a família..mas há um descarrego em diversos vícios: tabaco, álcool, maconha, comida…Que em excesso, ou às vezes nem precisa de excessos, faz muito mal. Rapidamente este problema pode passar do nível psicológico à dependência química e assim se não há um certo nível da substância circulando pelo sangue, o cérebro viciado não funciona feliz sem a desejável química que não consta ali.

O tratamento ayurvédico depende de quão sério e há quanto tempo persiste o vício. Se for um hábito recente, é fácil parar, é só querer, realmente querer. Mas se é por exemplo um alcoolismo crônico, e este é um exemplo grande, de repente parar de uma vez se torna impossível, bem improvável; pois cria-se uma abstinência que é difícil de se lidar. Este é assunto pra outro post.

Mas frente ao tabaco há duas causas: dependência da nicotina e estresse. Em tempos de pressão e desequilíbrios emocionais, o fumante lança mão do cigarrete. Portanto: detoxificar-se com Panchakarmas e lidar com o stress é essencial. Reduzir a dose da substância gradativamente é uma solução; a menos que haja medicamentos fortes contra o vício, uma brecagem abrupta só trará conflito frente a uma síndrome de abstinência que traz mais frustração ao aflito.

Um pare. Dicas:

  • Cigarro de ervas: misture Brahmi (Bacopa moniere) + jatamansi (Nardostachys jatamansi) + pétalas de rosa (essa é a receita original – difícil de se obter); OU sálvia, camomila, hibiscus, hortelã. Precisa remover 1/3 do tabaco do finalzinho, onde se acende, e colocar este mix. Fume-o e quando sentir o tabaco, pare. Logo o desejo de fumar diminui.
  • Sobrecarregue-se. Pingue algumas gotas de brahmi ghee (em sites ayurvédicos se encontra) diretamente no cigarro. A fumaça que produz será tão forte que a vontade de tragar desaparecerá. Se tiver dificuldade em encontrar este óleo medicinal, me escreva.
  • Nasya: medicamentos nasais com brahmi ghee.
  • Chás herbais: prepare chás de camomila, maracujá, mulungu, valeriana e outras ervas ansiolíticas  e tome uma colher de chá desta mistura, bem devagar, gole por gole para aliviar o desejo.
  • Mastigue ao invés de fumar: quando pintar o desejo, mastigue frutas secas, como abacaxi com mel.
  • Exercise: vá para uma caminhada, nade, faça qualquer esporte, saia de casa e estimule-se de outra forma.
  • Meditando: para gerenciar suas tensões gaste alguma parte do seu dia com uma prática contemplativa, a que preferir. Quando o stress diminui, o desejo incômodo espontaneamente também se esvai.
  • āsanas de yoga: very helpful! A saudação ao Sol 2, sahalabhāsana, dhanurasāsana, halāsana, tadāsana e sarvangāsana.
  • Exercícios respiratórios: bhastrika prāṇāyāma e nādi śodhana (logo escrevo sobre este dois respiratórios). Para saber mais sobre eles vá em: http://www.yoga.pro.br e procure.

O importante é se sentir bem. É o que vem naturalmente. Se há essa vontade de parar, ótimo. Senão tudo bem pois tudo faz parte da ordem e as coisas acontecem em seu tempo certo!

Tudo de bom!

Namastē.

Anúncios

leve muito leve querer.

O grande objetivo do Ayurveda é SUKHA – felicidade, diferentemente do Yoga que busca MOKSHA – liberação. Mas ambos buscam abrir a consciência para a experiência da liberdade. Estas duas ciências são complementares e ligadas como se fossem asas de um mesmo pássaro. Você está pronto para voar?

Nossa vida acontece em um Universo cósmico relacionado à grande evolução de todos os seres sustentados pela Inteligência Cósmica. E tudo o que é causado nele acontece por alguma causa passada…ou causará algo por vir. Não há acasos para o Ayurveda, o acaso é o que não entendemos! Com isso a felicidade é um efeito e a infelicidade também o é. Mas por que é tão difícil obter a felicidade, ao invés do sofrimento – DUKHA?

Ontem após uma palestra dada por um médico ayurvédico que abordou essas questões surgiram alguns lapsos de luz. A chave está na ignorância humana, avidya. Ignorância das nossas leis internas que podem ser despertadas, estão dentro de nós, exatamente dentro da Vida (ayur), juntamente com a leis universais que a regem. Ayurveda não é só medicina, abraça a natureza em todas as suas manifestações fenomênicas e nos dá um help aqui em nossa evolução e luta diária.

E se a felicidade é a meta, só é atingida pelo nosso cuidado com o corpo, as emoções, o intelecto, o espírito – PURUSHA. Só assim poderemos ter saúde – Swasthya, que é a ferramenta para a felicidade. Pois com dores, injúrias e aflições não dá pra ser feliz, não é?

Nós nascemos para sermos prósperos, vai. Risque outro fósforo, outra vida, outra luz, outra cor. E desperte!

Acende tua vela, corta teu bolo e abre o vinho, comemore o seu poder de escolha! Busque o que é bom, procure em si, cavoque-se e veja o que te faz feliz, isso não é jingle do Pão de Açucar, é real, é um doce conhecimento para aplicar em nossa longa vida.

Imagem ..garotinhos no Water Palace em Jaipur, Rajastão. Felizes. viviam de pedir rúpias.