leve muito leve querer.

O grande objetivo do Ayurveda é SUKHA – felicidade, diferentemente do Yoga que busca MOKSHA – liberação. Mas ambos buscam abrir a consciência para a experiência da liberdade. Estas duas ciências são complementares e ligadas como se fossem asas de um mesmo pássaro. Você está pronto para voar?

Nossa vida acontece em um Universo cósmico relacionado à grande evolução de todos os seres sustentados pela Inteligência Cósmica. E tudo o que é causado nele acontece por alguma causa passada…ou causará algo por vir. Não há acasos para o Ayurveda, o acaso é o que não entendemos! Com isso a felicidade é um efeito e a infelicidade também o é. Mas por que é tão difícil obter a felicidade, ao invés do sofrimento – DUKHA?

Ontem após uma palestra dada por um médico ayurvédico que abordou essas questões surgiram alguns lapsos de luz. A chave está na ignorância humana, avidya. Ignorância das nossas leis internas que podem ser despertadas, estão dentro de nós, exatamente dentro da Vida (ayur), juntamente com a leis universais que a regem. Ayurveda não é só medicina, abraça a natureza em todas as suas manifestações fenomênicas e nos dá um help aqui em nossa evolução e luta diária.

E se a felicidade é a meta, só é atingida pelo nosso cuidado com o corpo, as emoções, o intelecto, o espírito – PURUSHA. Só assim poderemos ter saúde – Swasthya, que é a ferramenta para a felicidade. Pois com dores, injúrias e aflições não dá pra ser feliz, não é?

Nós nascemos para sermos prósperos, vai. Risque outro fósforo, outra vida, outra luz, outra cor. E desperte!

Acende tua vela, corta teu bolo e abre o vinho, comemore o seu poder de escolha! Busque o que é bom, procure em si, cavoque-se e veja o que te faz feliz, isso não é jingle do Pão de Açucar, é real, é um doce conhecimento para aplicar em nossa longa vida.

Imagem ..garotinhos no Water Palace em Jaipur, Rajastão. Felizes. viviam de pedir rúpias.

Anúncios