o sabor de cada coisa.

O Ayurveda preza o alimento de uma forma única e integrada. Imagine a explosão de sabores em uma feira de rua.

Essência, seiva, prazer artístico, sentir-se vivo, uma nota musical, deleite, experiência,  entusiasmo, sumo, o sêmen.. ou Rasa – o SABOR!

Utilizado na fisiologia, mineralogia e farmacêutica ayurvédica para promover o efeito desejado da substância. Percebemos pela língua (JIHVA) o sabor de um medicamento, alimento ou erva, decodificado depois pelo SNC e Prana. Os sabores são formados pela permutação dos 5 elementos. A combinação particular determina a natureza e os efeitos nos doshas (vata, pitta e kapha), agni (fogo digestivo) , dhatus (tecidos) e malas (excretas). São percebidos como doce, salgado, ácido, adstringente, picante e/ou amargo, mas não se engane, um alimento pode ter mais de um sabor.

A dieta ideal de uma pessoa orienta-se por eles e cada um tem o predomínio de 2 elementos..exemplo – se uma pessoa tem uma natureza vata (ar e éter) deve preferir alimentos que possuam elementos complementares como fogo, água e terra. Ou seja, os sabores salgado (fogo + água), ácido (água + fogo) e doce (água + terra). E restringir os que contém fogo + ar (picante), ar + éter (amargo) e éter + terra (adstringente). Compliquei? Só no começo, não se preocupe com essas duplas, é só para o entendimento inicial da lógica existente nesta medicina.

Chilis aumentam pitta, que deve evitá-los.
Ajuda na digestão e na força do agni, bons pra kapha.

O DOCE tá nos açúcares, amido, carboidrato, aminoácido e gordura – enfim na maioria do que comemos. ex’s. banana, jaca, açúcar, mel, ghee, alcaçuz. Aumentam kapha por ter qualidades oleosas, pesadas e frias. Dá a sensação prazerosa de saciedade. Prefira mel, arroz envelhecido, mung dahl, cevada e trigo. Comendo demais (o que é fácil) gera preguiça, lassidão e lentidão mas normalmente traz vitalidade, tonicidade, contentamento & conforto – a vida deve ser doce o que diminui nossa irritação e ansiedade; e de quebra ainda tem efeitos laxativos e diuréticos.

AMLA – ácido dos ácidos orgânicos e frutas como tamarindo, manga verde, vinagre, iogurte e comida fermentada. Sendo quente, oleoso e penetrante, aumenta a salivação e o apetite, ótimo couvert. Apazigua vata e prejudica a saúde se consumido na forma de bebidas gaseificadas, conservas e ácido cítrico, conservante clássico. Acorda a mente e os sentidos mas o excesso envelhece e causa acidez mental com emoções críticas, ciúme e inveja tornando as pessoas azedas…Promete energia, promove a digestão, aumenta o agni e – por ser anticoagulante  – mantém o coração saudável. Um bom suco de laranja é uma dica, já que aqui não temos o amalaki, uma frutinha azeda indiana bem saudável e mil vezes rica em vitamina C.

O SALGADO ou lavana tem os mesmos elementos de pitta e kapha, portanto aumentam estes doshas (lei das semelhanças – Samanya). Intensificam o Gosto pela Vida, realça os sabores como nenhum outro. Uma vida sem sal não nos conecta, um relacionamento sem sal não vinga! Traz umidade, limpeza, amacia e é expectorante. A comida fica deliciosa, acalma os nervos e para a ansiedade. Porém em excesso desidrata, causa queimação interna, prejudica os sentidos viciando-os e perde-se a força dos dhatus. É presença nos sais minerais – prefira usar o sal do himalaya ou de rocha.

KATU – o picante é leve, secante e quente. Excita. Aumenta as secreções, vata e pitta. Seca a gordura e emagrece, dilata os canais (srotas), estimula os sentidos e promove o agni. Está nos óleos essenciais, fenóis e princípios voláteis do gengibre, manjericão, pimentas comuns, assa-fétida, cebola, alho e especiarias. Induz a extroversão, põe para fora, move, ativa a coragem, desperta o fogo. Mas também irrita e traz impaciência; além de diarréia, secura e exaustão. Podem exaurir o esperma e o óvulo trazendo debilidades sexuais quando demais – um antídoto: leite de amêndoas morno.

AMARGO ou Tikta é suave, penetrante, frio e leve. Alcalóides, glicosídeos, taninos como a uva, e plantas medicinais como neem, carqueja, triphala e dente-de-leão. Não é lá muito agradável, mas aumenta a capacidade de apreciar outras coisas porque afinal é preciso ter certo desconforto na vida também! Diminui o muco, pitta e kapha. Promove a pureza, constipação, purificação dos tecidos. Traz a insatisfação que estimula o desejo de mudança, trazendo força para a atividade! Porém, as pessoas podem se tornar amargas, frustradas e inseguras em seu abuso.

KASHAYA ou adstringente. Aqueles que amarram a boca como romã, banana verde, grão de bico, feijões verdes, açafrão, alfafa e alguns vegetais crus. É esfriante, pesado e secante. Ativa o catabolismo e vata. Contrai, cura, é constipante e antidiarréico, antiinflamatório e descongestionante. Psicologicamente te traz à terra, organiza. Mas em excesso pode trazer inseguranças, insônia, medo e rigidez.

o Rasa de um beija-flor.

You are what you eat. You think what you eat.

No fim, tudo o que absorvemos se transmuta em alimento mental – pensamentos e idéias, emoções e sentimentos. Escolha bem seu sustento! Aprecie seus melhores sabores com sabedoria e moderação e dê seu melhor Rasa ao corpo&mente.

Anúncios